Benfica lidera lucros entre os clubes campeões | KPMG | PT
close
Share with your friends

Benfica lidera lucros entre os clubes campeões nas ligas europeias

Benfica lidera lucros entre os clubes campeões

Estudo da KPMG “European Champions Report” relativo à época 2016/2017

1000

Conteúdo relacionado

  • Estudo "The European Champions Report", divulgado pela área global de Football Benchmark da KPMG, analisa a performance financeira dos clubes campeões nacionais de 12 ligas europeias;
  • Lucro de €44,5 milhões faz do SL Benfica o campeão europeu mais lucrativo, à frente de clubes como Real Madrid FC, Juventus, Bayern München ou Chelsea;
  • Real Madrid CF regista as maiores receitas operacionais1 (€ 671 milhões), enquanto o AS Monaco FC (€ 144 milhões) regista o maior crescimento anual (86%);
  • Cinco clubes apresentam uma dependência significativa da distribuição financeira da UEFA, com esta a representar mais de 25% das receitas operacionais: AS Monaco FC (45%), Celtic FC (30%), Beşiktaş JK (28%), Juventus FC (27%) e FC Basel 1893 (26%);
  • O FC Bayern München regista o menor índice de custos com pessoal vs receitas (45%), seguido de Beşiktaş JK (48%), com o AS Monaco (69%) no outro extremo;
  • Todos os campeões europeus incluídos no relatório obtiveram lucros depois de impostos, espelhando um novo paradigma na indústria do futebol, mais virado para a sustentabilidade financeira.

Na segunda edição do "The European Champions Report" a KPMG compara o desempenho financeiro dos campeões nacionais de 12 ligas europeias: AS Monaco FC, Beşiktaş JK, Celtic FC, Chelsea FC, FC Basel 1893, FC Bayern München, FC Spartak Moscou, FC Viitorul Constanţa, Feyenoord Roterdão, Juventus FC, Real Madrid CF e SL Benfica.

Todos os clubes analisados aumentaram as receitas operacionais e conseguiram resultados positivos (lucro). O vencedor da Liga portuguesa – SL Benfica – conseguiu mesmo duplicar os lucros depois de impostos, registando um valor de € 45 milhões, sendo que na época 2015/2016 apresentou lucros depois de impostos no valor de € 20 milhões.

Em larga medida, e de acordo com o estudo, os lucros do Benfica devem-se ao trading de jogadores, destacando-se as transferências de Victor Lindelöf para o Manchester United (lucro líquido de € 23 milhões) e de Gonçalo Guedes para o Paris Saint Germain (lucro líquido de € 26 milhões). Ainda assim, o Sport Lisboa e Benfica registou um crescimento anual de 2% em termos de receitas operacionais. De realçar também que, tal como outros clubes de fora dos principais mercados, o clube está bastante dependente das receitas das competições da UEFA, que representam 22% das receitas operacionais totais.

Andrea Sartori, Global Head of Sports da KPMG comenta: "O futebol é um negócio em crescimento e praticamente todos os clubes analisados aumentaram as receitas operacionais face ao ano anterior. As receitas geradas pela Liga dos Campeões da UEFA continuam a ser um forte impulsionador deste crescimento, especialmente para clubes de tamanho médio, pois impactam não só a rubrica das transmissões televisivas, mas também receitas de bilheteira (mais jogos em casa) e comerciais (ganhos com patrocínios)."

Depois de uma surpreendente vitória na Liga francesa e da qualificação para as meias-finais da Liga dos Campeões da UEFA, o AS Monaco FC destaca-se com um crescimento das suas receitas operacionais na casa dos 86%. O campeão francês, com um orçamento de aproximadamente um quarto do rival Paris Saint-Germain FC, também é, entre os clubes analisados, aquele que mais depende das receitas da UEFA, já que 45% das suas receitas operacionais provêem da distribuição financeira do organismo que gere o futebol europeu. Os escoceses do Celtic FC registam o segundo maior crescimento (52%).

O Real Madrid CF é, sem surpresa, o clube que regista as maiores receitas operacionais (€ 671 milhões) entre os clubes analisados. Contudo o clube espanhol está ligeiramente atrás do Manchester United FC, que não é abrangido neste trabalho por não ter sido campeão no seu país. Em segundo lugar deste ranking surge o FC Bayern München (€ 588 milhões), apesar da estagnação das suas receitas, em resultado de não ter participado nas meias-finais da Liga dos Campeões pela primeira vez em seis anos.

Apesar dos impactos positivos nas receitas das equipas, o bom desempenho desportivo também implica custos acrescidos, na forma de prémios aos jogadores. É curioso notar que os três clubes com maiores rácios entre receitas e custos com pessoal foram Real Madrid (61%), Juventus FC (64%) e AS Monaco (69%), todos campeões nos seus países que chegaram, no mínimo, às meias-finais da Liga dos Campeões.

No caso do Real Madrid, o aumento de 32% nos custos com pessoal eleva esta despesa para um valor de € 406 milhões, a maior folha de pagamentos no futebol mundial.

Sartori refere, "um dos principais desafios para os clubes passa pela sustentabilidade financeira. Ainda assim, todos os campeões europeus analisados apresentam lucros depois de impostos. Na verdade, apesar das mediáticas transferências de jogadores a que temos assistido e do aumento dos custos com pessoal, a indústria caminha num sentido em que é possível que os clubes sejam lucrativos. Neste cenário, os clubes que se destaquem na formação e trading de jogadores tenderão a ter vantagens competitivas. A título de exemplo refiram-se os casos de Chelsea FC, Juventus FC e SL Benfica, com as transferências de Óscar, Pogba, Gonçalo Guedes e Lindelöf. O Benfica duplicou os lucros após impostos no ano passado, para um total de €44,5 milhões, enquanto a Juventus FC aumentou os lucros em quase €40 milhões em relação ao ano anterior".

Em termos de redes sociais, o Real Madrid CF continua a ser o clube mais seguido em todo o mundo, com quase 210 milhões de seguidores2. No entanto, alguns jogadores têm mais seguidores que o próprio clube, casos de Cristiano Ronaldo (Real Madrid CF), James Rodríguez (FC Bayern München), David Luiz (Chelsea FC), Falcão (AS Monaco FC) e Pepe (Beşiktaş JK).

No caso do Benfica, o relatório aponta um total de 5.66 milhões de seguidores nas redes sociais.

1 Receitas operacionais não incluem as receitas de negociação de jogadores e outras actividades extraordinárias.

2 Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Sobre a KPMG

A KPMG é uma rede global de firmas profissionais que prestam serviços de auditoria, fiscalidade e consultoria. Estamos presentes em 154 países com 200 mil profissionais a trabalhar nas firmas membro a nível mundial. A KPMG em Portugal tem escritórios em Lisboa e no Porto com 51 membros da Partnership e mais de 1100 colaboradores. De forma apaixonada e com propósito trabalhamos lado-a-lado com os nossos clientes, combinando abordagens inovadoras com uma vasta experiência, de forma a entregar resultados reais.

© 2018 KPMG PORTUGAL – S.G.P.S., S.A., a firma portuguesa membro da rede KPMG, composta por firmas independentes afiliadas da KPMG International Cooperative ("KPMG International"), uma entidade suíça. Todos os direitos reservados.

Ligue-se connosco

 

Solicitar uma proposta

 

Submeter