Me, My Life, My Wallet 2018 | KPMG | BR
close
Share with your friends
Me, My Life, My Wallet 2018

Me, My Life, My Wallet 2018

Me, My Life, My Wallet 2018

Edição 2017

Em meio à crise econômica, o consumidor brasileiro se apaixonou pela tecnologia móvel e pelas redes sociais, reconfigurando seu comportamento de compra e exigindo muito mais criatividade de quem vende para driblar a crise. A retomada do crescimento econômico no País viabilizará um novo patamar de consumo, mas será fundamental manter os elementos-chave dessa nova relação entre compradores e vendedores.

O ato de consumir nasce, em princípio, para atender carências, aspectos materiais práticos e fáceis de determinar e até mesmo ancestrais: comer, se vestir, ter um teto. No mundo moderno, os desejos de consumo vão muito além e hoje – mais do que nunca – o profundo entendimento da motivação e das expectativas do consumidor é fator crítico de sucesso para a indústria, o comércio e o setor de serviços. Esse processo é, muitas vezes, determinado por fatores subjetivos e pessoais.

E foram esses aspectos que a KPMG se propôs a analisar através do estudo “Me, My Life, My Wallet 2018”. Diferentemente de pesquisas tradicionais sobre o tema, o estudo não se restringe à coleta de dados demográficos e informações simples sobre renda e hábitos de compra, mas sim explora o perfil dos entrevistados, detectando os mais distintos aspectos que podem influenciar suas decisões de consumo em diferentes dimensões.

Para isso, a metodologia adotada considerou segmentar os resultados obtidos no que pode ser chamado de “Five My’s”: Minha Motivação, Minha Atenção, Meu Tempo, Minha Conexão e Meu Bolso. Essas cinco dimensões de análise do comportamento dos consumidores envolvem diversos aspectos da jornada do consumidor, como confiança, uso de dados e interação com as marcas nas redes sociais. Além dos dados do Brasil, o estudo inclui um comparativo com os outros países que fizeram parte da pesquisa nesta edição: Canadá, China, Emirados Árabes, Estados Unidos, França, Índia e Reino Unido.

Foram entrevistadas, em média, 2.500 pessoas de cada um dos países, abrangendo cidades de diferentes portes socioeconômicos, amostra que permitiu um traçado abrangente. Analisando-se os principais aspectos identificados na comparação dos dados, percebe-se um modelo social tradicional de vida, independentemente das marcantes diferenças culturais e de desenvolvimento de cada nação.

Esperamos que este material seja útil para suas atividades e nos colocamos à disposição para discutir qualquer questão relacionada a este tema e para apoiá-lo no que for necessário.

Fabio Grandi
Sócio-diretor de Customer Experience da KPMG no Brasil

Frank Meylan
Sócio-líder de Customer Experience da KPMG no Brasil

Guilherme Nunes
Sócio-líder de Consumo e Varejo da KPMG no Brasil

Paulo Ferezin
Sócio-diretor líder para o setor de Varejo