Big Data e Automatização em Comércio Exterior | KPMG | BR

Big Data e Automatização nos Processos de Comércio Exterior

Big Data e Automatização em Comércio Exterior

GTEC - Centro de Excelência em Comércio Exterior

Conteúdo Relacionado

containers de carga

Inovação, Mudança, Data Mining, Cientista de Dados, Data Analytics e Big Data são palavras inseridas em nosso vocabulário corporativo devido à revolução tecnológica dos últimos “minutos” (a tecnologia está muito rápida para contarmos sua evolução!). Hoje estas mudanças tecnológicas estão transformando organizações em sua estrutura, desafiando-as a repensar seu método de trabalho, desde a elaboração de seus produtos / serviços até o pós-venda, trazendo pensamentos ao exemplo de “como gerir e saber se o produto foi positivo além dos números de venda”. Em processos de Comércio Exterior, não seria diferente, onde estratégias de importação / exportação baseiam-se em informações real time para determinar rotas e formas de envio ao menor custo e com menos risco à operação.

No universo corporativo, dispor de informações de qualidade na tomada de decisões é um dos principais desafios na gestão de processos de alta complexidade, como os de Comércio Exterior. A grande quantidade de dados transacionais de diversas fontes e com formatos distintos, presença de intervenientes em cada etapa de validação e a rapidez com a qual os gestores da cadeia de suprimentos devem agir são alguns dos aspectos que tornam as operações internacionais mais expostas ao conceito de Big Data.

Mas, afinal, o que é Big Data? Big Data é um conceito que descreve o grande volume de dados estruturados e não estruturados que são gerados a cada segundo, oriundos de “N” fontes, desde dados cotidianos da empresa, rede sociais, pesquisas de campo etc. Sua principal aplicabilidade é cruzar grandes volumes de dados, até mesmo de fontes diferentes, em um tempo mínimo no qual traga informações estratégicas para auxílio na tomada de decisão.

Big Data revolucionou a forma de gerar valor com as informações disponíveis para a empresa, revolução esta que, em conjunto com tecnologias “do passado” como Mining (mineração de dados), Data Analytics e muitas outras, fomentam uma inteligência empresarial única, que, quando bem aplicada, gera resultados perceptíveis e rápidos à empresa.

OK! Minha empresa opera com Comércio Exterior, como aplico tais tecnologias no meu cotidiano? Um dia a dia típico de uma empresa que opere em Comércio Exterior com várias planilhas, consultas manuais a sistemas do governo, inputs idênticos em sistemas diferentes, documentos avulsos (fora de sistemas), entre outras tarefas manuais sem a devida acurácia das informações, seja por erro humano ou sistêmico, faz com que processos fiquem falhos e incompletos, gerando retrabalhos, multas e penalizações à empresa. O cenário descrito acima foi abordado pela Global Trade Management Survey de 2016, na qual verificou-se que 61% das empresas latino americanas não utilizavam sistemas de automatização de Comércio Exterior para realizar seus processos aduaneiros. Segundo levantamentos dessa mesma pesquisa, também foi possível notar que as empresas estão se conscientizando acerca da necessidade de adotar tais sistemas, com 53% dos respondentes compreendendo o uso da tecnologia como um elemento-chave para reduzir riscos, custos e dinamizar os processos, agregando valor à empresa.

Os sistemas de gestão e automatização de Comércio Exterior proporcionam estruturação dos processos de trabalho, operacionalizando de forma estratégica as importações, exportações, operações de câmbio e o gerenciamento de Regimes Aduaneiros Especiais, diminuindo custos e tempo de tramites aduaneiros a partir de informações precisas, gerando um novo padrão de qualidade e eficiência junto aos clientes.

A utilização combinada entre Big Data e a automatização de processos em Comércio Exterior traz a integração dos dados que proporcionam controle do processo do início ao fim, além de reduzir o tempo gasto em análises através de relatórios que trazem insights valiosos em um cenário de extrema competitividade. Da mesma forma, a tecnologia permite que a empresa defina as métricas que mais facilmente auxiliarão gestores e equipes nos desafios do dia a dia, contando com processamento ágil, alertas sistêmicos e fonte única da informação. 

No Brasil, a crescente demanda por melhorar as condições de competitividade e encontrar novas estratégias para a retomada do crescimento são parte de um grande debate nas empresas que vêm buscando no Comércio Exterior a alternativa para manter a produção e conquistar novos mercados. Esta estratégia está dando claros sinais de sucesso, com o constante aumento das exportações brasileiras, que nos últimos dois anos bateram recordes históricos. As rápidas transformações no ambiente de mercado e regulatório aduaneiro no Brasil demandam atenção e agilidade para garantir o crescimento do Comércio Exterior.

As empresas que possuem a capacidade de gerir seus processos com eficiência, dispondo de informações rápidas e claras, estão no caminho para decisões mais assertivas e menor exposição negativa frente à fiscalização governamental. 

O time do Centro de Excelência em Comércio Exterior (GTEC) da KPMG está preparado para trabalhar com seus clientes, antecipando o amanhã e entregando resultados hoje. Nosso time, com um amplo reconhecimento de mercado e conhecimentos multidisciplinares em Sistemas de Gestão e Automatização de Comércio Exterior, Regimes Aduaneiros Especiais e Tecnologia, está preparado para prover uma completa linha de serviços em Comércio Exterior de modo a contribuir com o sucesso da sua empresa através do melhor gerenciamento das informações sobre suas operações. 

> Clique aqui e conheça a página de Centro de Excelência em Comércio Exterior da KPMG no Brasil

conecte-se conosco

 

Pedido de proposta

 

Enviar