empreendedorismo-inovação-duas-coisas-diferentes | KPMG | BR

Empreendedorismo e inovação: duas coisas diferentes

Empreendedorismo e inovação: duas coisas diferentes

James Mabbott, Líder de Inovação, KPMG na Austrália

Conteúdo Relacionado

technology innovation

Sua empresa não conseguirá ser bem-sucedida sem ambos, empreendedores e inovadores. As jurisdições e as empresas mais bem sucedidas serão aquelas que forem capazes de estimular ambos os enfoques.

Quando as pessoas discutem sobre inovação e empreendedorismo elas geralmente se referem a eles como sinônimos. O desafio está justamente no fato de ambas as atividades serem bastante diferentes — e interpretar erroneamente o sentido desses termos pode resultar em confusões ou em um entendimento equivocado sobre como apoiar cada atividade adequadamente.

Reconhecendo as diferenças

Inovação é simplesmente introduzir uma mudança que de alguma forma agrega um novo valor — para uma organização ou para uma pessoa. Você pode encontrar uma nova forma de ir ao trabalho que lhe poupe tempo ou dinheiro; isto é inovação em sua forma mais simples. Quando o assunto é inovação, estamos falando sobre ideias e não somente sobre seus resultados comerciais. Na verdade, muitas inovações começam porque alguém se perguntou, "E se eu fizer isso?" ou "E se mudarmos isso?"

Empreendedorismo, por outro lado, é mais voltado para propósitos comerciais. Ele geralmente se refere a um indivíduo que tem um impulso para criar ou fazer alguma coisa que lhe proporciona benefícios comerciais, enquanto ao mesmo tempo também agregue valor para o resto do mundo. Empreendedorismo pode incluir a introdução de novos produtos, serviços e mesmo processos. Ele utiliza-se da inovação para gerar valor.

Focando a interseção

Aqui na Austrália, estamos começando a reconhecer a importância tanto da inovação como do empreendedorismo. Para criar uma economia inovadora bem sucedida você precisa de ambos, da capacidade de criar novo valor e da capacidade de levar esse valor para o ambiente de negócios e comercializá-lo. Sem levar em conta os dois lados da equação, você pode acabar tendo em mãos inovações que nunca se tornam viáveis comercialmente.

Lembre-se da época do VHS e Betamax. Embora o Betamax fosse considerado por muitos como a tecnologia superior, o VHS contava com o apoio de empreendedores mais capazes de levar sua tecnologia ao mercado. O resultado, o VHS passou a ser a o padrão tecnológico para vídeos domésticos por muitos anos.

Todos os dias, tecnologias inovadoras que proporcionam um valor significativo à sociedade são introduzidas no mercado. No entanto, se elas não tiverem o apoio do talento ou da mentalidade empreendedora, essas inovações nunca atingirão seu potencial comercial.

Criando conexões

Para incentivar uma economia inovadora, países e empresas precisam focar na intersecção, em reunir inovadores e empreendedores, criadores e potenciais usuários. Uma das atividades pela qual a Austrália é melhor reconhecida globalmente é a competência em pesquisas enquanto continuávamos a enfrentar dificuldades em impulsionar a colaboração para comercializar as pesquisas. No entanto, recentemente, algumas medidas foram tomadas para incentivar a colaboração entre a pesquisa, a comunidade acadêmica e as empresas — e entre grandes corporações e startups.  O país estabeleceu vários hubs para apoiar à interseção e à troca de ideias. Um grande exemplo é a Stone and Chalk — um hub de tecnologia financeira que incentiva a colaboração e a conectividade entre empreendedores, grandes empresas, VCs e o governo.

Outros programas incubadores e aceleradores na Austrália também têm como alvo vários aspectos da interseção entre empreendedorismo e inovação. Por exemplo, o River City Labs oferece um espaço de coworking para apoiar e estimular atividades empreendedoras e empresas em estágio inicial, enquanto a BlueChilli está focada em criar uma ponte entre grandes empresas com inovadores e startups, e a PushStart que visa preencher as lacunas observadas no ecossistema de startups do país e ao mesmo tempo incentiva e apoia outras organizações que prestam serviços para startups.

Não dá para ter um sem ter o outro

Seja na Austrália ou em qualquer outro lugar no mundo, você não conseguirá ter êxito se não tiver ambos, empreendedores e inovadores. As jurisdições e as empresas mais bem sucedidas serão aquelas que forem capazes de incentivar e unificar ambos os enfoques para aproveitar o verdadeiro poder da inovação. 

Publicado originalmente no Venture Pulse Blog da KPMG Enterprise como “Entrepreneurship and innovation: Not the same thing” (https://home.kpmg.com/xx/en/home/insights/2016/05/entrepreneurship-and-innovation-not-the-same-thing.html)

conecte-se conosco

 

Pedido de proposta

 

Enviar

Nova plataforma digital da KPMG

A KPMG International criou uma avançada plataforma digital que aumenta sua experiência, otimizada para descobrir novos e relacionados conteúdos.